O diário perdido de Don Juan

o diario perdido de don juan
Autor: Douglas Abrams
Título Original: The Lost Diary of Don Juan: An Account of the True Arts of Passion and the Perilous Adventure of Love
Editora: Editora Suma de Letras
Nota: 5

Sinopse:

Idade de ouro na Espanha, época de Renascimento Cultural, mas também de ferrenha perseguição religiosa por meio da temida Santa Inquisição. Neste cenário, o escritor Douglas Abrams dá vida ao legendário e incorrigível Don Juan, o maior sedutor da literatura mundial, já retratado por inúmeros autores, como Molière e Mozart.

Órfão, criado em um convento e depois num tenebroso mosteiro, Don Juan foge para Sevilla, se unindo a um bando de ladrões para sobreviver. Logo conhece Marquês de La Motta, que o contrata como espião, ensinando-o as artes da esgrima e da sedução.

Porém, a fama de sedutor insaciável não rende boa fama ao nosso herói e ele passa a ser perseguido pela Igreja. Para tentar protegê-lo, seu amigo consegue um título de nobreza, que não é suficiente para livrar Don Juan da Inquisição. Para isso, é preciso se casar! Nesta bela história, o personagem galanteador não vive apenas incontáveis aventuras amorosas com donzelas virgens e mulheres casadas. Ao conhecer Doña Ana, finalmente, o conquistador se apaixona e tenta, desesperadamente, não enlouquecer por amor.

Resenha: Don Juan, mito ou realidade? O que faria se recebesse um misterioso diário dizendo ser do mais famoso conquistador europeu? Bom, Douglas Carlton fez o melhor livro o qual já li:O Diário Perdido de Don Juan.

Muito mais que um conquistador, Don Juan foi uma criança abandonada por sua mãe no estábulo de um convento e em segredo criado pelas madres residentes do Convento de La Madre, e como ele mesmo diz: “conhecendo o divino feminino”. De órfão a ladrão, de ladrão a espião e de espião a nobre, uma trajetória emocionante e encantadora, conhecida melhor no decorrer das linhas do livro e das páginas da vida de Don Juan.

O que direi eu, um fã incondicional do livro? Suas palavras iniciais falam por si só: “Escrevo nas páginas nuas deste diário de modo que a verdade seja conhecida e meu destino não seja abandonado aos rumores e às mentiras…”
Um livro de romance diferente dos demais: galanteios, palavras doces e a mais pura arte de amar de um homem que amou todas as mulheres como se fosse uma, entregando-se à divindade feminina em sua forma terrestre.  Indo do sublime ao arrepiante, da delicadeza à rispidez, da cordialidade à indelicadeza, do divino ao profano.

Mostra uma visão de como cada mulher deve ser tratada, das palavras que deve ouvir, de como tem que ser amada, e de como fazê-la sinceramente sorrir.

Floreios? Não. Esse livro vai muito mais, além disso, ele vai à alma do leitor, massageia um ponto crucial: o coração. Assim como fiz questão de ler novamente essa “divina obra apaixonante” espero que sinta esta necessidade, para “digerir” melhor cada palavra colocada, e vendo como um homem que além de amar todas as mulheres como uma, também amou uma mulher como todas… Doña Ana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *