É proibido demonstrar interesse – Motivos pelos quais eu odeio o cenário atual de encontros

*Esse texto não é de minha autoria, ele foi escrito em inglês por Melissa Moeller  com o nome de “Why Modern Dating Makes Me Want To Punch Myself In The Throat” você pode conferir a versão original aqui. Eu apenas traduzi e adaptei.

texto sobre encontros e amor

Como uma mulher de 22 anos solteira, eu estou vivendo a pior parte da cultura moderna de “encontros” – aperfeiçoando a arte de fazer o cara certo pagar um drink para mim, elaborando a resposta perfeita para uma mensagem para que eu pareça interessada apenas o suficiente, tomando os devidos cinco segundos para julgar adequadamente e determinar se eu devo ou não passar para o próximo no Tinder. Esse é o mundo em que vivo agora e tenho que confessar: eu odeio isso com cada fibra do meu ser.

Talvez seja porque eu deixo acontecimentos insignificantes ruminarem em minha mente por mais tempo do que eles são bem vindos. Ou, talvez, seja porque eu reajo de forma muito sensível ás pessoas com quem eu divido o mundo. Ou, talvez, o cenário atual de encontros está horrivelmente fodido mesmo. Provavelmente são os três, mas vamos falar apenas do terceiro.

Enquanto eu estava em um relacionamento, eu ouvia muitas pessoas reclamando sobre a vida de solteira o tempo todo, em conversas com os meus amigos, artigos na internet ou algum programa popular na televisão, essa discussão está em todos os lugares. Mas, só quando eu comecei a passar por isso que eu, realmente, entendi porque as pessoas reclamavam tanto. É tudo tão complicado!

Ninguém te convida para um encontro, simplesmente te chamam para “fazer algo” – isso tudo para que depois você gaste os próximos três dias que você supostamente deve ignorá-lo imaginando o que esse “fazer algo” realmente significou.  Vocês viram um filme? Foram jantar? Transaram no carro? Viajam para Paris e ficaram bêbados embaixo da Torre Eiffel? Tenha cuidado, vocês estavam apenas “saindo”. É só casual, certo? Eu não sei, eu fico imaginando o que ele está pensando! O que transar no carro significou para ele? Eu tenho uma solução simples para aqueles que lutam com essas questões assombrosas: pergunte para a outra pessoa. Oh, mas espere, você não pode! Hahahah. E aqui está o porquê.

Nós vivemos em um mundo onde as pessoas tem medo de sentir qualquer coisa verdadeira, ou ao menos tem medo de mostrar que sentem. Quando alguém está bravo com você, não há ligação para vocês conversarem sobre isso. Ao invés disso, você recebe uma resposta passiva-agressiva em uma mensagem no whatsapp ou uma indireta via twitter. Se você gosta de alguém, você não diz a essa pessoa como você se sente, é melhor você demonstrar interesse suficiente apenas para chamar a atenção, mas não muito para que você não a assuste. Não gosta disso? Problema seu. Tudo é um grande jogo e se você não jogá-lo de acordo com as regras, você irá perder, e se perder vai acabar se afogando em uma poça de insegurança, imaginando o que você fez de errado.

Não chame para sair duas noites seguidas. Se você mandou mensagem primeiro da última vez, agora você precisa esperar até que ele mande uma mensagem primeiro. Não mande duas mensagem seguidas. Você não pode assumir que nada é mais do algo casual, mesmo se vocês já transaram. Não fale sobre isso também. Se você está se perguntando onde essa relação está indo e decide falar sobre isso, cada palavra deve ser escolhida cuidadosamente para que você pareça estar bem com qualquer resposta que você receba, mesmo que na verdade, você não esteja. Tudo é resolvido através de mensagem. É estranho ligar hoje em dia, mesmo que seja só para ter uma conversa banal ou combinar algo, então somos forçados a esperar ansiosamente por uma mensagem que pode nunca chegar.

Tudo é extremamente calculado para parecer que foi sem pensar, e esse é um dos jogos mais exaustivos que eu já tive que jogar. Eu poderia me formar com o tanto de tempo e energia que eu gasto me perguntando se o cara com que eu estou saindo ~casualmente~ sente algo por mim.

Se eu gosto de alguém, eu quero sair com ele. É simples assim. Ou ao menos deveria ser. Mas, nessa cultura de encontros onde somos escravizados, tem que ser mais complicado que isso. Se eu falo demais com ele, eu sou carente. Se eu estou sempre disponível para sair, eu sou muito pegajosa e não tenho vida própria. Se ele leva três horas para responder uma mensagem, e meu celular está na minha mão na hora em que ele responde, eu preciso esperar para responder assim eu não vou parecer muito ansiosa. E eu me pergunto constantemente, por quê eu estou jogando esses jogos estúpidos?

Por que eu não posso ligar para alguém se eu gosto de falar com ele? Por que mostrar que eu me importo, me torna carente? Se eu fico irritada quando ele me esbona, eu sou apenas uma puta louca, então a minha única opção é reclamar para os meus amigos enquanto morro de ansiedade até ele me mandar uma mensagem. E eu quero te dizer algo: eu não quero ser essa garota. Eu não quero que ninguém tenha esse poder sobre mim. Ninguém deveria ter esse tipo de poder sobre ninguém. Eu estou tão cansada em viver em um mundo onde a apatia é muito mais efetiva para ter a atenção de alguém do que a honestidade. Eu estou cansada desses jogos de manipulação que homens e mulheres jogam uns com os outros com o objetivo de manterem o controle de relações que nós não estamos se quer autorizados a definir.

Então aqui vai uma idéia: vamos parar de ser pequenos filhos da puta. Respeite as pessoas o suficiente para dizer a verdade. Se alguém te faz feliz, diga a ele. Se alguém te inspira, diga a ele. Se você não está interessado em alguém, apenas diga!! Não ignore as pessoas até que elas desapareçam. Está na hora de crescemos e parar de deixar pessoas sem respostas e escrever mensagens codificadas em redes sociais. Todos somos humanos apenas tentando entender uns aos outros nesse mundo louco de encontros, então pare de tratar qualquer tipo de relação que seja como se fosse um desafio que deve ser superado. Seja honesto sobre as pessoas sobre como você se sente, e não se perca jogando esses jogos ao ponto de esquecer de ser honesto consigo mesmo!

Recebi esse texto de um dos meus melhores amigos há alguns meses em uma semana em que discutíamos muito essa questão de porquê é tão chato o fato das pessoas tornarem encontros em um jogo. Sempre volto a ler ele quando acho que preciso repensar como estou agindo porque por mais que esse jogo seja exaustivo, as vezes, nós caímos nele. E, como sei que nem todo mundo fala inglês, ta aí a tradução! E você, o que acha desse cenário atual?

2 thoughts on “É proibido demonstrar interesse – Motivos pelos quais eu odeio o cenário atual de encontros

    1. HAHAHAHAHA a realidade é triste, as pessoas, infelizmente, a maioria não se importam muito umas com as outras e acabam entrando nesses jogos cansativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *