um dia resenha
Autor: David Nicholls
Título Original: One Day
Editora: Editora Intrínseca
Nota: 4

Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas – vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Resenha:

Um Dia conta a história de Dexter Mayhew e Emma Morley, ou Dex e Em, Em e Dex, dois amigos da faculdade que por acaso acabam juntos em uma cama. Em, como todos a chamam, sempre teve uma queda por Dex e finalmente conseguiu o que queria: beijá-lo sem parar. Mas Dex tem outros planos e vai viajar pelo mundo todo e enquanto ele está por aí, eles trocam cartas e cartões postais. Dex sempre contando sobre suas aventuras em cada país e quantas mulheres pegou em cada esquina. Em conta sobre seu emprego em um restaurante mexicano e nada sobre meninos nas esquinas.

Cada capítulo é um dia. Cada capítulo conta a história sobre o dia 15 de Julho, dia de St. Swithin – que, segundo Dex, é o dia que avisa como serão os 40 dias seguintes: se chover no dia 15, choverá pelos outros 40 dias e etc, desde 1988 a 2007. Acho que foi aí que eu me confundi todinha. Como se passa sempre um ano de um capítulo para o outro, ficamos sem saber o que aconteceu nesse tempo todinho (detalhadamente), como Emma começou a ficar com Ian ou como começou a morar com ele ou ainda como deu certo o caso com o Phil, como Dex largou Naomi para ficar com Ingrid e como depois surgiu Suki, sua companheira do programa de televisão que ele apresentava.

Os dois são apaixonados um pelo outro e apesar de todos os relacionamentos que eles se metem ao longo do livro, sabem que acabarão juntos. Não pela proposta de Dex que se eles estivessem sozinhos aos 40 anos, se casariam (oi, isso teve no Friends), mas porque eles sabem que não podem viver sem o outro.

Preciso dizer que o final da 4ª parte (são 5) me deixou em choque. Eu tive que voltar o capítulo pra ler de novo e entender o que tinha acontecido direito e fiquei passada. Não gostei. Aconteceu algo tão gigantesco e o David Nicholls meio que jogou no final da página e fim, não comentou mais nada sobre aquilo, só o que veio depois. Fiquei decepcionada.

Não posso contar muito mais coisa porque estraga a história.
Mas queria saber de quem já leu: gostou? Entendeu tudo? Eu sou lerdinha demais por ter ficado confusa? Acha que algo poderia mudar? Conte-me!

Ah, e eu não chorei em momento algum, mas ri em vários. Ponto positivo, acredito eu! No geral é um ótimo livro sim, mas eu realmente esperava mais por conta das críticas.

Resenha na íntegra: Blog da Juh Claro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *